Últimas Notícias

Previous Next
  • 1
  • 2
  • 3
20-09-2021 Presidente da SDM em promoção presencial do CINM na Suíça... Durante esta semana, o Presidente da SDM, Roy Garibaldi, estará na Suíça promovendo o Centro I...

Ler mais
17-09-2021 CINM comprova a sua valia ao serviço da economia madeirense... Criado nos anos 80 como instrumento de desenvolvimento económico regional, através de um conjun...

Ler mais
14-07-2021 O Registo Internacional de Navios da Madeira - MAR assinala crescimento de 7,6% no 1º semestre... No primeiro semestre de 2021, o Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR) voltou a regista...

Ler mais
29-06-2021 Emprego e receita fiscal do CINM confirmam contributo indispensável para a economia da Madeira... Segundo os dados oficiais mais recentes relacionados com a receita fiscal e a criação de empreg...

Ler mais
26-01-2021 Oportunidades na área tecnológica na Ilha da Madeira. Os casos de Diogo, André e Pedro ... A Connecting Software, empresa com sede em Viena, abriu o seu escritório na Madeira há três an...

Ler mais
27-10-2020 01 Edu System - Empresa tecnológica do CINM investe na área da educação... Qual é o core business da vossa empresa? Como descreveria a vossa actividade? A 01 Edu System ...

Ler mais
Pode visitar-nos também nas redes sociais  youtube in

OCDE consolida credibilidade e legitimidade do Centro Internacional de Negócios da Madeira

Em resultado das conclusões da cimeira do G20, que decorreu no passado dia 2 de Abril em Londres, o Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM) consolidou a sua posição de jurisdição transparente e bem regulamentada, totalmente integrada na nova   arquitectura da ordem financeira mundial.

O CINM é uma praça de negócios portuguesa de vocação internacional, expressamente autorizada pela Comissão Europeia na sequência de proposta formulada por Portugal, visando criar condições adequadas para o desenvolvimento e diversificação de uma pequena economia insular e ultraperiférica como a Madeira.

A necessidade de distinguir os Estados que sempre cooperaram com as regras de transparência e partilha de informação, no qual Portugal sempre se enquadrou e, inerentemente, o CINM, daqueles que não cooperam e devem ser mais vigiados foi o ponto mais consensual na cimeira que reuniu as vinte economias mais poderosas do mundo (G20).

Com base nesta decisão, Portugal ficou fora das novas listas negra e cinzenta, publicadas pela Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económico (OCDE), reafirmando, de forma clara, a posição do CINM como jurisdição legítima e credível, numa altura em que os líderes mundiais procuram  restabelecer a confiança no sistema financeiro internacional.

Contudo, a ausência do CINM destas listas não surpreende pois, em mais de vinte anos de actividade, nunca foi classificado como  “praça offshore” ou “paraíso fiscal”  pelas  grandes organizações  internacionais, nomeadamente a União Europeia ou a OCDE, e encontra-se inteiramente subordinado aos ordenamentos jurídicos comunitário e nacional.

A estabilidade do regime fiscal do CINM, que permanecerá inalterado até 2020, e a confirmação dos seus rigor e transparência por parte das maiores autoridades mundiais em termos de regulamentação e supervisão fiscal, colocam o CINM num elevado patamar de segurança e competitividade que proporciona aos investidores nacionais e  internacionais um pacote único de benefícios aplicável a um largo conjunto de actividades.

FaLang translation system by Faboba