Últimas Notícias

Previous Next
  • 1
  • 2
  • 3
20-09-2021 Presidente da SDM em promoção presencial do CINM na Suíça... Durante esta semana, o Presidente da SDM, Roy Garibaldi, estará na Suíça promovendo o Centro I...

Ler mais
17-09-2021 CINM comprova a sua valia ao serviço da economia madeirense... Criado nos anos 80 como instrumento de desenvolvimento económico regional, através de um conjun...

Ler mais
14-07-2021 O Registo Internacional de Navios da Madeira - MAR assinala crescimento de 7,6% no 1º semestre... No primeiro semestre de 2021, o Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR) voltou a regista...

Ler mais
29-06-2021 Emprego e receita fiscal do CINM confirmam contributo indispensável para a economia da Madeira... Segundo os dados oficiais mais recentes relacionados com a receita fiscal e a criação de empreg...

Ler mais
26-01-2021 Oportunidades na área tecnológica na Ilha da Madeira. Os casos de Diogo, André e Pedro ... A Connecting Software, empresa com sede em Viena, abriu o seu escritório na Madeira há três an...

Ler mais
27-10-2020 01 Edu System - Empresa tecnológica do CINM investe na área da educação... Qual é o core business da vossa empresa? Como descreveria a vossa actividade? A 01 Edu System ...

Ler mais

CINM comprova a sua valia ao serviço da economia madeirense

Antonio Saraiva


Criado nos anos 80 como instrumento de desenvolvimento económico regional, através de um conjunto de incentivos concedidos com o objetivo de atrair investimento externo, o Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM) tem demonstrado, desde então, o seu contributo para a modernização, diversificação e internacionalização da economia madeirense.

O seu impacto é bem visível na atração de novas e competitivas atividades económicas para a Região, no fomento da sua capacidade competitiva nos mercados externos, na criação de empregos e na melhoria qualitativa da mão-de-obra local, com um acréscimo da oferta de emprego qualificado.

A distribuição geográfica da origem das sociedades que operam no seu âmbito mostra bem a sua capacidade de atração de investimento estrangeiro diversificado.

2020 foi, como todos sabemos, um ano terrível para a economia nacional e em particular para a economia madeirense, muito dependente do turismo e atividades conexas, especialmente afetadas pela pandemia. Os resultados registados pelo CINM mostram eloquentemente o seu efeito amortecedor da crise, contrariando a contração da atividade económica na Região e o seu impacto ao nível do emprego e das finanças públicas.

De facto, o número de empresas que operam no CINM aumentou, o volume de emprego diretamente proporcionado por estas empresas também teve um acréscimo e a receita fiscal da Região continuou a beneficiar do mesmo nível de impostos gerado no seu âmbito. 12,7% das receitas fiscais totais da Região Autónoma da Madeira em 2020 e mais de 70% das receitas de IRC aí geradas tiveram origem na atividade desenvolvida no quadro do CINM.

Não podemos olhar para o CINM com desconfiança ou preconceitos ideológicos, confundindo conceitos. Interessa, sim, olhar para os resultados e aferir se cumpre ou não os objetivos para os quais foi criado.

Está visto que os resultados comprovam, mais uma vez, a sua valia como instrumento de desenvolvimento económico regional, em particular numa conjuntura tão adversa como a que estamos a viver. São a melhor resposta às campanhas mal-intencionadas de desinformação de que, periodicamente, é alvo.

Há, pois, que preservar este ativo, proporcionando-lhe um enquadramento legal propício ao seu desenvolvimento e garantindo a necessária previsibilidade desse enquadramento.

Caso contrário, assistiríamos inevitavelmente à deslocalização das sociedades aqui instaladas para outras praças da União Europeia que beneficiam de regimes fiscais nacionais mais favoráveis.

Há, também, que prosseguir na divulgação das suas valias como mecanismo que, estando ao serviço da economia madeirense, está também ao dispor dos investidores portugueses e estrangeiros, para garantir maior competitividade e capacidade de internacionalização.


António Saraiva

Presidente da CIP

 

Anexo: artigo em ficheiro PDF

 

 

 

FaLang translation system by Faboba