Últimas Notícias

PreviousNext
  • 1
  • 2
  • 3
24-03-2017 Balanço do CINM em 2016 é muito positivo A análise à evolução do Centro Internacional de Negócios da Madeira em 2016 permite destacar o resultado de...

Ler mais
24-03-2017 CINM aumenta contributo para a receita fiscal e emprego na Madeira ... Segundo dados validados pela Autoridade Tributária, em 2015 o CINM gerou mais de 151 milhões de euros de...

Ler mais
13-03-2017 Embaixada de Itália promove conferência sobre o CINM... Amanhã, dia 14 de Março, a Embaixada de Itália em Lisboa promoverá uma conferência sobre o Centro...

Ler mais
06-03-2017 Duas novas empresas de serviços do CINM geram mais de 40 empregos... A TV APP Agency e a LUX&BEL Construções são dois exemplos concretos de sociedades recentemente...

Ler mais
25-01-2017 SDM Reforça investimento na Promoção do CINM em 2017... Para corresponder à confiança que os investidores e os mercados têm demonstrado no Centro Internacional de...

Ler mais
10-01-2017 PwC apresenta Barómetro sobre Mar e Ambiente... O rumo da Economia do Mar em Portugal vai estar em análise no Funchal. No próximo dia 2 de Fevereiro, a...

Ler mais

ZFI Afirma-se como Pólo de Desenvolvimento Económico

Os dados mais recentes da Zona Franca Industrial (ZFI) indicam que este sector de actividade do Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM) tem vindo a confirmar-se como uma via alternativa e complementar às actividades económicas tradicionais da Região e a contribuir para a consolidação e diversificação do sector industrial da Madeira.

Os resultados que têm sido obtidos reflectem, a par do trabalho desenvolvido por cada uma das empresas que operam no parque, o posicionamento assumido pela S.D.M. desde 1989, quando iniciou a construção das primeiras infra-estruturas da Zona Franca Industrial, sempre sustentado em padrões de qualidade e de exigência elevados, onde se inclui a promoção do respeito pelas regras ambientais.

Para além das valias decorrentes da proximidade do aeroporto e do porto comercial da Madeira, a ZFI tem vindo a proporcionar um conjunto eficiente e completo de benefícios fiscais e aduaneiros para atrair projectos empresariais capazes de se comprometer com a economia da Região.

vaporilhas 

O exemplo concreto da Vapor Ilhas

É o caso da Vapor Ilhas, uma empresa de montagens técnicas e industriais, do sector metalomecânico, que se tornou pioneira na Certificação CE de estruturas metálicas.

Para Christine Staehli, da Vapor Ilhas, o trabalho desenvolvido pela empresa no âmbito da ZFI e todo o empenho colocado na obtenção da referida certificação foi assumido como "um fator de competitividade, regional e internacional" e é interpretado pela empresa e pelos seus parceiros como "um reconhecimento da excelência dos projetos desenvolvidos pela Vapor Ilhas".

Como referiu ao nosso site Ibc-madeira Notícias, com a introdução da obrigatoriedade da "marcação CE das estruturas metálicas", a 1 de Junho de 2014, a Vapor Ilhas já certificada no âmbito da norma ISO 9001:2008 desde 2012,  lançou-se ao trabalho e alcançou em 2015 a Concessão 1090 – Certificado de Conformidade do Controlo de Produção em Fábrica (CPF).

Na senda desta evolução, embora as novas obrigações decorrentes da Norma EN 1090 tenham significado uma revolução nas metalomecânicas Portuguesas envolvidas no fabrico de estruturas metálicas, a Vapor Ilhas tornou-se a primeira e única empresa regional com este tipo de certificação.

Conforme sublinha, por seu turno, Filipe Manso Teixeira, Membro da Comissão Executiva da S.D.M. e Director da ZFI, "o empenho demonstrado por esta empresa nos seus processos de evolução e modernização, visando a competitividade no mercado, a exemplo de muitas outras, acrescenta valor à ZFI, que se tem afirmado como espaço de desenvolvimento económico, de incentivo à fixação das populações e como fonte de diversificação das actividades económicas".

Como se pode verificar pelo conjunto de actividades desenvolvidas actualmente no parque industrial no Caniçal, as empresas transformadoras que cumpram e se coadunem com as regras gerais vigentes no País podem operar na ZFI. Aliás, no quadro da divulgação promocional do CINM realizado em Portugal Continental, a S.D.M. tem vindo a recordar que "para além dos empresários estrangeiros também os Portugueses podem instalar-se na Zona Franca Industrial, sem qualquer diferença de regime, não sendo discriminados nos critérios de elegibilidade para os benefícios fiscais aplicáveis quanto aos mercados de destino dos bens produzidos e na distribuição de dividendos".


Dados do primeiro semestre

O último balanço efectuado pela S.D.M. à evolução da Zona Franca Industrial revela dados interessantes sobre o desenvolvimento do parque industrial nos últimos anos.

Para além do total de 48 empresas em operação e dos 436.061.400€ de capital social que representam, note-se que o investimento total efectuado pelos operadores e pela S.D.M. em infraestruturas, edifícios e equipamentos na ZFI é já superior a 260 milhões de euros.

A análise revela ainda que do total de empresas em operação, 44 são investimentos de raiz no parque (91,66%), representando 509 postos de trabalho (78,4%) e 83% da área ocupada. Um indicador claro que corrige a percepção incutida na opinião pública de que as empresas na ZFI são basicamente relocalizações de empresas da Região. Destas 44 empresas, 23% já efectuaram reinvestimentos na ampliação, remodelação e modernização das suas instalações. As 4 empresas na Zona Franca Industrial que são considerados investimentos de deslocalização (8,33%) empregam 140 postos de trabalhos (21,6%) e ocupam 17% da área ocupada.

De referir igualmente que o emprego directo gerado é de 649 postos de trabalho (2014), certamente um contributo interessante para este sector económico na Madeira.

A dinâmica deste parque industrial no Caniçal e o know-how que tem vindo a acrescentar àquela zona geográfica da Madeira, outrora dependente de actividades económicas tradicionais, é também visível na origem do investimento realizado e na diversificação das actividades desenvolvidas.
No primeiro caso, existem actualmente operadores na Zona Franca Industrial cujos capitais sociais têm origem em Espanha, França, Itália, Reino Unido, Suíça e Portugal, incluindo Madeira.

Quanto às actividades desenvolvidas na Zona Franca Industrial, o sector da indústria alimentar, das bebidas e do tabaco representa 17% das empresas a operar, a indústria petrolífera e derivados outros 13%, enquanto a fabricação de produtos metálicos, reciclagem e gestão de resíduos, armazenamento e comércio por grossos significam 10% das actividades realizadas na ZFI.

A produção de energia, a fabricação de produtos químicos, as biotecnologias, as telecomunicações, os plásticos, o processamento e comercialização de cimentos, a lavandaria industrial, entre outras, fecham o leque de actividades desenvolvidas no Caniçal e confirmam a diversificação existente no conjunto das indústrias a operar na Zona Franca Industrial.

 

 

 

FaLang translation system by Faboba